NOVIDADE!

27 de nov de 2011

Pto de Vista - GNU/Linux, e computadores com GNU/Linux, hoje.

Nos últimos anos, a venda de computadores pessoais novos com Sistemas Operacionais GNU/Linux, daqui em diante denominado apenas Linux, virou uma febre. Por ser um sistema grátis, limpo, seguro e estável, grandes e pequenas empresas viram no Linux a possibilidade de alavancarem suas vendas de computadores pessoais.

Mas, quem mais saiu ganhando com esta ideia, foi o cliente ou usuário final, pois além de poder levar um equipamento pra casa entre 10% e 20% mais barato, não necessita ter gastos adicionais com programas de proteção como antivírus e spywares.

Vale lembrar que a economia entre 10% e 20% se dá hoje. Por que? Porque antes da inclusão do Linux em máquinas novas à venda, o cliente poderia pagar 40% ou mais do valor total do equipamento só num sistema operacional original, como por exemplo o Windows da Microsoft! Hoje, essa taxa fica mais baixa, porque as máquinas vendidas com Sistemas da Microsoft, oferecem um Windows limitado, ou seja, nem todas as funções do sistema operacional estão disponíveis. E muitos usuários nem sabem disso. Por exemplo, não é raro encontrar em fóruns de informática usuários questionando porque seu “computador novo não abre mais de 4 janelas”.

Em poucas palavras, a venda de computadores com sistemas Linux beneficia até mesmo quem comprar um computador com Windows, pois a Microsoft para não perder uma grande parte do mercado e evitar dar maior margem a pirataria, teve a ideia de “limitar” seu Sistema Operacional para assim poder oferecê-lo mais em conta e já instalado num computador novo.

Grande parte de quem compra um computador pessoal hoje, já teve contato com um computador anteriormente quer no vizinho, no amigo, num parente, no trabalho, na lan house, etc. Certamente, quase 100% desses computadores estavam rodando com sistema Windows da Microsoft e podemos dizer que isso é uma barreira para a aceitação do Linux. Uma vez que o usuário final já teve um contato, mesmo que mínimo, com o Windows, a primeira coisa errada que vai pensar é que é difícil trabalhar com Linux. Mas, isso não é verdade. Certamente se este usuário tivesse tido seu primeiro contato com Linux, pensaria que o sistema difícil de trabalhar seria o Windows. É tudo uma questão de adaptação e de costume.

No Linux, depois que se aprende a dominar a estrutura do ambiente de trabalho, que é o que mais assusta o usuário, percebe-se que o sistema lhe permite personalizar o menor detalhe possível, programas padrão do sistema, cores, formatos, decorações, etc. Sem falar que se este usuário sem experiência alguma com um computador, pode usufruir no Linux, principalmente na internet, de uma segurança infinitas vezes maior se comparada a segurança proporcionada por um sistema Windows.

A maioria dos usuários que hoje optam por comprar um computador, vão utilizá-lo para baixar arquivos da internet, criar e visitar perfis online, ouvir músicas, assistir a filmes, ler e enviar e-mails, etc. É insanidade, pensar que o Linux não dispõe de recurso para atividades tão simples como estas. O Linux não só dispõe de recurso, mas de recursos, muitos recursos. O Linux dispõe de opções que há alguns anos vêm revolucionando os ambientes desktops e até chegaram a deixar o sistema Windows da época, antiquado. Isso exigiu da Microsoft um upgrade estético em seus futuros lançamentos, que foi iniciando pelo Windows Vista, quando meteu os pés pelas mãos criando um sistema robusto demais para os computadores da época e incompatível com diversos hardwares e softwares. O Windows Vista trazia muitos recursos já observados nos desktops Linux, mas que se revelaria uma verdadeira “pedra-n'agua”.

Alguns ainda poderão dizer que os programas com os quais estão adaptados a trabalhar, não funcionam no Linux, e que o Windows possui uma gama muito grande de recursos e aplicativos que o Linux não possui. Mas, é mais fácil repassar uma informação errada, do que averiguar sua veracidade. Por anos a fio, o Linux enfrenta na “boca popular” uma disputa injusta. Enquanto ele está disponível em diferentes formas, versões, modelos, cores, tamanhos, para ser baixado da internet gratuitamente, como que fruta madura no pé pronta para ser colhida, os defensores do Windows utilizam uma cópia falsa deste sistema operacional, do pacote office, além de programas “crackeados” - modificados para funcionar como originais.

E, como se não bastasse, a aceitação do Linux enfrenta uma resistência por causa de muitos de seus próprios adeptos. Sim, alguns profissionais da informática vêm no Linux uma ferramenta tão superior, que não deveria integrar um Desktop de usuário. Estes profissionais são agressivos e ignorantes em fóruns de discussões com os novos usuários de Linux. Acreditam que o Linux deveria continuar sendo como era no início, ou seja, com poucos recursos gráficos e recheado de terminais de comandos com fundo preto e letrinhas brancas. Não suportam ver mais de 2 cores no monitor. Esqueceram-se de que um dos maiores atrativos do Linux, invejado inclusive pela própria Microsoft, foi a possibilidade da inovação de seus recursos gráficos. O Linux evoluiu, mas muitos de seus adeptos, continuam estacionados.

Outra dificuldade enfrentada pelo Sistema Linux, são os próprios computadores vendidos com o sistema instalado. São sistemas fracos, sem suporte correto aos dispositivos e sem suporte ao usuário. Alguns dos computadores com o sistema, apresentam falhas de hardware por causa da configuração incorreta do sistema operacional, o que leva a muitos proprietários ignorarem os termos da garantia e partirem para a instalação de um sistema Microsoft Windows piratas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário